segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Dez habilidades de um bom líder


Sem entrar no mérito se a liderança é uma qualidade nata ou aprendida, eis dez habilidades (ou comportamentos) chave para um bom líder:

Bom Exemplo

Um bom líder deve arregaçar as mangas e participar, não importa a posição que exerça na organização. Participar significa eventualmente descer as escadas e viver a realidade de seus subordinados, conversar com clientes, suar um pouco onde a empresa verdadeiramente funciona.

Paixão

Um líder sem paixão torna-se um empurrador de tarefas ou, se tiver sorte e for organizado, um burocrata que mantém as coisas nos eixos, mas que não gera novos frutos.

Paixão é essencial, pois boa parte do papel do líder é despertar entusiasmo e motivação em seus subordinados, e ninguém é capaz de irradiar uma luz que não possui.

Isso não quer dizer que você deva se tornar um megafone ambulante, pregando os valores da sua companhia como um fanático em uma escadaria, mas que vai transmitir esses valores diariamente, por palavras e ações.

Organização

Uma secretária bem organizada ajuda, mas não o dispensa de definir sua própria disciplina pessoal. A desorganização pessoal, quando refletida na liderança, traz conseqüências piores que uma mesa bagunçada. Gera ruído na definição de metas, no comportamento e no destino da sua equipe.

Delegação

Liderar também significa atribuir responsabilidades as outras pessoas, criteriosamente, e acompanhar seu trabalho e os resultados. Delegar corretamente inclui um conhecimento profundo sobre o trabalho a ser realizado, bem como a capacitação e os talentos pessoais de cada membro da equipe.

Responsabilidade

Ao assumir um cargo de liderança, você se torna responsável sobre a produtividade de outras pessoas. Por isso, além do conhecimento técnico reconhecido que o levou à promoção, agora deverá entender como cada membro da sua equipe atua (ou cada diretor, se estiver na cadeira principal) e agir de acordo com sua capacidade e grau de autonomia, a fim de colher os lucros (ou os danos) do trabalho conjunto.

Comunicação

Esqueça a retórica, um bom líder comunicador é aquele capaz de expressar a clareza do próprio pensamento, o que inclui saber explicar o que deve ser feito, às vezes como deve ser feito e, principalmente, qual a importância da tarefa, em uma escala de relevância ou prioridades.

Como conseqüência da sua organização pessoal, sua comunicação para com sua equipe deve ser precisa, específica e concisa. Por outro lado, um líder desorganizado tende a comunicar-se da mesma forma, gerando ambigüidade quanto às próprias ordens, e muitas vezes a equipe até compreende o que deve fazer, mas tem que improvisar quando ao como, e não tem a menor idéia do porquê.

Coragem e honestidade

O papel do líder vai além de distribuir tarefas e fiscalizar a execução. No dia a dia, muitas vezes seu caráter será posto a prova, pois ele se defrontará com situações onde a saída mais fácil definitivamente não é a correta. Seguir o caminho correto, o que às vezes é dolorosamente oneroso, exige coragem.

Além disso, o líder se torna responsável por sua equipe, o que quer dizer que às vezes terá de defendê-la, seja de um cliente grosseiro, seja de decisões arbitrárias ou francamente mal fundamentadas da cúpula (sim, isso acontece).

Saber ouvir

Boa parte da sua habilidade em seu comunicar bem vem de sua capacidade de ser um bom ouvinte. Manter um projeto organizado e as pessoas empolgadas não resulta de um discurso inflamado, mas do seu poder de ouvir as mais variadas demandas de sua equipe, e gerenciá-las a contento.

Conhecer sua equipe

Os membros de sua equipe não precisam ser seus melhores amigos (provavelmente não serão), mas você irremediavelmente precisa conhecê-los para orquestrar o conjunto. Além de ter ciência da capacitação técnica de cada um, é fundamental conhecer os traços de sua personalidade, como se comunica, o que motiva, e também um pouco de sua história pessoal.

Aprofundar o relacionamento humano é trabalhoso, exige atenção e foco na outra pessoa e, sobretudo, é sua responsabilidade.

Ser também um discípulo

Grandes líderes são também grandes seguidores, seja de outros líderes, seja de grandes idéias. Ser um discípulo injeta no líder aquela parcela fundamental de humildade que o salva de se tornar um arrogante, ou um ditador. Um líder discípulo aprende com mais facilidade das pessoas e das situações ao seu redor, pois se torna capaz de dar um passo além de sua visão e de seu egoísmo.

Neste ponto um chefe se torna um Líder.

Fonte: http://outrolado.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pelo seu comentário. Ele é muito importante para nós.
SPCENTERCAR