Transformando tediosas rotinas

quinta-feira, 1 de julho de 2010


Um dos inimigos psicossomáticos mais ferrenhos do trabalhador moderno é o tédio. Aquele indesejável aborrecimento, desgosto, fastio, falta de interesse, chegando até mesmo à temível repulsa das tarefas e das atividades como um todo. Muitas podem ser as causas do tédio no trabalho, desde a incompatibilidade das habilidades com as exigências requeridas até as famosas padronizações de atividades. Independente de suas causas o perigo instala-se quando as rotinas diárias tornam-se tediosas e enfadonhas, levando o trabalhador a sentir-se inútil, desmotivado, deixando assim, de explorar e expandir suas potencialidades.

O tédio tem gerado inúmeros prejuízos aos trabalhadores e às organizações em geral. Ele gera fadiga, preocupações, ressentimentos, desinteresses, comodismos, irritabilidade, dores de cabeça, baixa produtividade, redução no grau de comprometimento, atitudes anti-social, conflitos hierárquicos e assim por diante. Pesquisadores que estudam o tédio o chamam de "uma das principais doenças da nossa era".

O Dr. Joseph E. Barmack publicou nos Archives of Psycology, um relatório sobre algumas das suas experiências, submetendo um grupo de estudantes a uma série de testes em atividades que não lhes podia despertar o interesse. Os estudantes foram submetidos a testes de metabolismo. Estes testes, por sua vez, revelaram que a pressão do sangue e o consumo de oxigênio diminuem verdadeiramente quando a pessoa está aborrecida, e que todo o seu metabolismo normaliza-se logo que ela se sente interessada e satisfeita com seu trabalho. Resumindo a conclusão da pesquisa: o tédio gera a fadiga e o cansaço, enquanto o interesse pelo trabalho acende a satisfação.

É fato, muito conhecido, que raramente ficamos cansados quando estamos fazendo algo interessante, que nos excita, que nos desafia, que nos dá prazer. A nossa atitude mental gera mais frequentemente fadiga do que o próprio esforço físico. Quem sabe ai não esteja o segredo para transformar tediosas rotinas em tarefas que proporcionem prazer.

Uma dos grandes desafios da área de RH é manter os profissionais motivados, para que possam desenvolver todas as suas aptidões pessoais e profissionais alinhadas aos objetivos das organizações. Sendo assim, combater o tédio, torna-se primordial para manter o nível de motivação elevado dentro de qualquer instituição.

Algumas sugestões podem ser úteis para os profissionais de RH no alcance deste objetivo. Dentre elas destacamos:
- Despertar anseios pela busca de novidades nos colaboradores.
- O desconhecido é fascinante. O primeiro contato com as novidades é sempre revestido de surpresa, euforia e entusiasmo e se for revelado gradativamente, torna-se um processo extremamente importante na arte da motivação pessoal e profissional.
- Estimular mudanças significativas e permanentes.
- Caso o tédio instala-se principalmente pela rotina, nada melhor do que estimular mudanças, desburocratizar, despadronizar, realizar tarefas rotineiras de maneira diferentes. Às vezes, pequenas mudanças podem ser tremendamente significantes, tais como mudar o layout da sala, pintar o ambiente com cores mais claras e alegres. Enfim, o importante é estimular a capacidade do colaborador, de ver diferente e não acomodar com o tradicional já instalado.

Descobrir novas habilidades dos colaboradores - Muitos colaboradores têm talentos, que nunca foram descobertos e revelados no ambiente de trabalho, tais como: a música, o teatro, o dom de escrever e assim, por diante. Descobrir estes talentos e oportunizar espaços ligados à organização trará novo alento ao colaborador e um sentimento de prazer e valorização, sem igual.

É perfeitamente possível transformar tediosas rotinas em atividades prazerosas, pela renovação constante da nossa mente. A renovação constante ascende novamente o desejo de participação, onde o dinamismo sufoca a monotonia, onde o entusiasmo é mais forte do que as seguidas repetições de tarefas engessadas. Importante também é pensar que centenas ou milhares de pessoas gostariam de estar fazendo o que nós estamos fazendo neste exato momento. Nós não precisamos perder nosso espaço para valorizar, precisamos apenas mudar nosso forma de ver nosso dia a dia e descobrir que ele pode ser mais prazeroso do que nós o fazemos.

Por: Valdemir José Francisco
Fonte: http://www.rh.com.br

1 comentários:

antonio marcos zucker disse...

Parabens pelo video !!!

Postar um comentário

Muito obrigado pelo seu comentário. Ele é muito importante para nós.
SPCENTERCAR